Home   |   Leave This Site Quickly   |   A A A

Facebook Twitter Facebook - White Ribbon Day

Stay Informed

Sign up here to receive electronic alerts and updates. Subscribe Now!

What We Do

"Our membership in Jane Doe Inc. provides me with a statewide support network, particularly from people of color at all leadership levels, deepening my sense of purpose and vision on a personal, professional and organizational level that ultimately enhances the YWCA’s work with survivors." ~ Vilma Lora, Co-Director of Women’s Services, YWCA of Greater Lawrence

Preocupado com Alguém que Você Conhece?

Enquanto muitos de nós fomos criados acreditando que violência sexual e doméstica são assuntos particulares e não são da conta de ninguém, no final a violência sexual e domestica afeta a todos nós.

Seja alguém que você mal conhece ou alguém muito próximo a você, você provavelmente ouviu a mesma coisa de ambos: o que é que eu devo fazer ou dizer? Eu devo tentar falar com a pessoa ou devo respeitar a sua privacidade? As minhas ações irão por algum de nós em risco? Eu posso fazer algo para ajudar antes que a situação se torne violenta?

Sobreviventes nos dizem que só o fato de ter uma pessoa que ajude a quebrar o silêncio pode ser como alguém abrindo uma porta! O seu apoio compassivo, sem julgamentos e respeitoso podem ajudar alguém a receber a ajuda que precisa.

Você pode conversar com um defensor treinado em assuntos de violência sexual ou doméstica sobre as suas preocupações e encontrar outros recursos para si ou para para alguém que você conheça que foi ou que está sendo abusada ou agredida. Você também pode encontrar ajuda se conhecer alguém que é um perpetrador de violência sexual ou doméstica.

Como posso dar apoio a uma vítima/sobrevivente de violência sexual e/ou doméstica?

Ouça sem julgamentos. A vítima não é responsável pelo comportamento abusivo ou violento de outra pessoa. Não os culpe pelo que aconteceu. Entenda que o tempo que cada pessoa precisa para falar sobre o ocorrido varia. Sendo asim, não se apresse em oferecer uma solução.

Acredite na pessoa e deixe que ela saiba que você se importa com ela.

Mantenha confidencialidade. Não compartilhe informação com qualquer um sem a permissão específica da vítima/sobrevivente.

Pergunte o que você pode fazer para ajudar, e ajude-as a fazer as suas próprias decisões. Curar-se é um processo diferente para cada pessoa. O seu papel é ajudá-la a avaliar quais são as suas opções e a obter os recursos que elas necessitam, ao invés de fazer por elas.

Encoraje-as a procurar um programa local. Você pode oferecer-se para acompanhá-la. Defensores treinados escutam as estórias delas e obtém os recursos e as informações necessárias para ajudar as vítimas a fazerem as melhores decisões por si mesmas. Quando alguém foi agredido sexualmente, encoraje-a a buscar cuidados médicos. Você também pode contatar um programa local para fazer perguntas e obter informação.

Demonstre preocupação por sua segurança e faça parte do seu “plano de segurança”. Um plano de segurança é criado pela vítima com a ajuda de um defensor treinado. Embora tipicamente associado com violência doméstica, vítimas de agressão sexual também podem beneficiar-se de um plano de segurança. Se você crê que alguém esteja em perigo imediato ligue para 911.

Contate o Programa de Assistência de Empregados ou o recursos humanos onde você ou a pessoa com que você se preocupa trabalha para descobrir que tipo de opções podem estar disponíveis.

Investigue para saber se faz sentido obter dos tribunais uma ordem de proteção ou uma ordem de proteção contra assédio. Ordens de proteção contra abuso foram criadas para ajudar vítimas/sobreviventes, e para proteger o seu direito a sua segurança.

Aprenda sobre questões legais e direitos das vítimas. As necessidades legais de cada vítima são diferentes. Podem haver problemas no local de trabalho ou no lar, preocupações acerca da segurança na universidade ou o locais de treinamento de trabalho, temor de que o agressor tenha acesso a escola das crianças ou à creche. Um defensor pode ajudar a desenvolver soluções através de encaminhamentos e recursos.

Nota especial para imigrantes: Existem leis específicas para proteger o direito de imigrantes vítimas de lesão corporal, incluindo proteção contra deportação.

O que é que eu devo fazer se eu acho que alguém esta cometendo violência doméstica ou sexual?

Nós todos temos um papel a cumprir em fazer com que as pessoas que cometem atos de violência sexual ou física sejam responsabilizadas. Algumas vezes isto significa chamar a polícia quando você vê alguém machucando ou ameaçando uma pessoa. Outras vezes você pode ter a chance de oferecer apoio a um transgressor para que este faça as decisões corretas necessárias para parar o comportamento abusivo.

É de importância fundamental que você tome cuidado por sua própria segurança e pela segurança da vítima. Assim, antes de você falar com aquele que abusa ou com qualquer outra pessoa, pergunte à vitima o que é que ela/ele quer. É importante ter em mente que, por mais bem-intencionado que você seja, aquele que abusa pode sentir que está perdendo o controle e assim tentar fazer mal à vítima.

Se você falar com o transgressor, deixe a pessoa saber que violência sexual e doméstica não param sem que haja uma intervenção externa. Dessa maneira, encoraje-os a buscar serviços apropriados e educação para indivíduos abusivos.

Não intervenha diretamente se isto irá colocar você ou a vítima em perigo. Ligue para 9-1-1.

O que é que eu posso fazer para ajudar a tornar a minha comunidade mais segura?

Saber que alguém que você conhece tem sido uma vítima de abuso pode inspirá-lo a juntar forças conosco para acabar e prevenir violência sexual e doméstica. Junte-se a nós. Envolva-se!


Home | Find Help | Learn More | How You Can Help | Who We Are
Donate | What's Happening | What We Do | Contact Us

© Copyright 2014 Jane Doe Inc.

Español | Português | 普通话

JDI Law Firm Partner JDI Communications Partner

Mintz Levin Verizon

Our Affiliations

NNEDV NAESV Community Works